Blog

Aloha apresenta Diretor de Marketing

A Aloha apresenta novo diretor de Marketing, Willian Alexandrino.

Willian Alexandrino chega com a missão de estruturar a área, e pretende quadruplicar o número de empreendedores e o faturamento da companhia até o fim de 2020.

Aloha, empresa de cosméticos naturais, anuncia Willian Alexandrino como diretor de marketing. O executivo chega com o objetivo de estruturar o departamento e planeja quadruplicar o número de empreendedores e o faturamento da companhia até o final de 2020. Além disso, Alexandrino comenta que a Aloha pretende investir em parcerias estratégicas, projetos colaborativos e em um marketplace.

Ao longo de sua carreira, o profissional atuou como gestor de produção do Balé da Cidade de São Paulo, foi produtor executivo no IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), professor no Senac/SP e coordenador do curso Economia Criativa, Crowndsourcing e Startups, da ESPM.

Confira a publicação do site Meio & Mensagem – 1 de agosto de 2019 – 16h41

Nova Aloha Express em São Paulo

A Aloha tem o prazer de anunciar a abertura de mais um centro de distribuição dos seus produtos. Nova Aloha Express na cidade de São Paulo/SP.

Empreendedores Aloha da cidade de São Paulo e arredores, agora poderão retirar os seus produtos diretamente na Aloha Express, em horário a combinar diretamente com a Elianete, agilizando o recebimento dos produtos, garantindo seus pontos, sendo pipeliner, facilitando suas vendas por possuir pronta entrega ou rápida retirada.

Aloha Express Elianete

A Aloha Express visa atender aos empreendedores garantindo rapidez eficiência e qualidade em suas vendas, com redução do custo, apoiando aos revendedores que poderão adquirir os produtos sem pedido mínimo, não necessitando assim alto investimento em estoque no início do seu negócio.

Quer conhecer mais sobre a modalidade Express? Contate a Elianete que lhe explicará como você também poderá abrir a sua e alavancar seu negócio.

A Elianete Vieira, carioca que escolheu São Paulo há mais de 25 anos, atuou em empresas de informática, telecomunicações, editorial e hoje é uma das empreendedoras fundadoras da Aloha Life Internacional. – “Depois de conhecer os produtos naturais com formulação à base de óleos essenciais que não me causam crises de rinite, me apaixonei. Depois de conhecer os óleos essenciais e começar a estudar aromaterapia, me sinto muito mais saudável e percebi minha missão de levar qualidade de vida para os amigos.”

Conheça mais os produtos Aloha aqui.

Você pegou a senha?

Você pegou a senha?

É claro que uma empresa com processos bem definidos ganha em eficiência, e ser eficiente é fundamental para que qualquer negócio dê certo. O problema reside em olhar somente para o seu próprio mundo e se esquecer de focar no mais importante: o cliente.

Todo empreendedor precisa de discernimento para decidir quais são as prioridades de sua empresa.  É comum que, principalmente, os iniciantes fiquem confusos sobre como e onde empregar suas forças e acabam dedicando muito tempo desenvolvendo processos, colocando o foco na organização. É claro que uma empresa com processos bem definidos ganha em eficiência, e ser eficiente é fundamental para que qualquer negócio dê certo. O problema reside em olhar somente para o seu próprio mundo e se esquecer de focar no mais importante: o cliente.

Compartilho uma experiência recente que vivenciei e ilustra bem esse conceito. Participei de um evento em São Paulo e solicitei à minha secretária que fizesse reserva em um hotel. No dia seguinte quando fui tomar o café da manhã, comecei com um copo de suco, frutas e algumas nozes. Depois caminhei até o local onde os hóspedes pediam o prato quente. Como faço habitualmente pedi dois ovos fritos. A moça que me atendeu perguntou se eu retirado uma senha.

Olhei para trás e não havia uma fila. Eu era a única pessoa ali. Respondi que não havia retirado a senha. Ela me disse: você precisa pegar uma senha. Pegar senha? Onde?, perguntei. Pode pegar com aquele rapaz.

Fui até o rapaz e pedi uma senha para dois ovos fritos. Ele me entregou um cartão com o número 23. Voltei ao primeiro local e entreguei a moça. Ela perguntou: como você gostaria dos ovos? Expliquei que gosto de ovos estrelado, ou seja, não gosto da gema dura. A jovem respondeu: Ok, logo o garçom vai entregar em sua mesa. Olhei ao meu redor mais de 30 mesas no restaurante e questionei: mas como ele vai me encontrar? Sem hesitar ela respondeu. Pela senha. Eu tive que rir.

Voltei para minha mesa, coloquei a senha bem visível na mesa e naquele instante eu tinha apenas uma certeza: tomaria meu café da manhã sem comer os tais ovos estrelados. Como sou minucioso, resolvi cronometrar quanto tempo levaria para os ovos chegarem à mesa. Cinco minutos, dez minutos, quinze minutos e nada. Nessas alturas eu já havia perdido o apetite pelos ovos estrelado. Tomei um iogurte e resolvi sair. Na porta um funcionário de terno me cumprimentou com a pergunta: o senhor ficou satisfeito com nosso atendimento? Essa era a oportunidade que precisava para expressar minha insatisfação com o serviço. Falei ao gerente: Já estive em mais de 40 países e essa é a primeira vez que para pedir dois ovos fritos eu precisei pegar uma senha. Para minha surpresa o gerente respondeu: Mas tem uma explicação! Agradeci a boa vontade, mas respondi que não queria ouvir a explicação.

Eis um exemplo perfeito de uma organização focada em processos internos e não na satisfação do cliente. As empresas que alcançam o sucesso são aquelas que entendem quem seu ativo mais valioso é o cliente e, sendo assim, sabem que é preciso conhecê-lo e proporcionar a ele uma experiência capaz de gerar satisfação e fidelização. Os consumidores estão cada vez mais exigentes. Eles não aceitam ser apenas mais um – buscam empresas que ofereçam produtos e serviços que, de fato, estejam de acordo com os seus hábitos, que respeite a sua individualidade, que se adequem e atendam aos seus anseios. Ou seja, empresas que tenham foco no cliente!

Fonte: Isto é Dinheiro – 10/04/19 – 15h20

Lavanda pode substituir drogas pra ansiedade, diz a ciência

Lavanda pode substituir drogas pra ansiedade, diz a ciência

Por A Grande Arte de Ser Feliz em 26 de outubro de 2018

A lavanda realmente relaxa! Cientistas japoneses descobriram que a flor perfumada pode ajudar as pessoas a relaxar e ser uma alternativa mais segura às drogas ansiolíticas.
Pesquisadores da Universidade de Kagoshima demonstraram que ratos que foram expostos ao aroma da flor tinham menos sinais de ansiedade. O estudo foi publicado na revista Frontiers in Behavioral Neuroscience.
Os cientistas descobriram que o cheiro do composto de lavanda vaporizado ajudaria o rato a relaxar. Ela tem Linalol, que faz desencadear “sinais olfativos” que levam ao relaxamento.

“Como em estudos anteriores, descobrimos que o odor de linalol contido na Lavanda tem um efeito ansiolítico [anti-ansiedade] em camundongos normais”.

“Na medicina popular, há muito se acredita que compostos odoríferos derivados de extratos de plantas podem aliviar a ansiedade”, disse o co-autor do estudo, Hideki Kashiwadani.

Mais seguro

O arbusto roxo pode ser uma alternativa mais segura às pílulas para dormir, sugere o estudo.
Os benzodiazepínicos contidos nos remédios para dormir têm sido associados a uma série de efeitos colaterais, incluindo problemas de memória, crescimento da mama masculina e até mesmo defeitos congênitos.
O Xanax e Valium, entram na corrente sangüínea através das vias aéreas e depois têm um efeito direto sobre os receptores das células do cérebro, conhecidos como GABAARs.
Mas quando os camundongos foram pré-tratados com o medicamento flumazenil, que bloqueia as drogas, eles não experimentaram nenhum efeito calmante.

“Quando combinados, esses resultados sugerem que o linalol não atua diretamente nos receptores GABAA, como fazem os benzodiazepínicos”, explicou Kashiwadani.

“Mas deve ativá-los através de neurônios olfativos no nariz, a fim de produzir seus efeitos relaxantes”.

“Nosso estudo também abre a possibilidade de que o relaxamento visto em camundongos alimentados ou injetados com linalol poderia, de fato, ser devido ao cheiro do composto emitido em sua respiração exalada.”

Ele acrescenta que mais pesquisas são necessárias para determinar a segurança e eficácia do linalol quando tomadas através de diferentes rotas antes que ele possa ser testado em seres humanos.

“Esses resultados, no entanto, nos aproximam do uso clínico do linalol para aliviar a ansiedade”, acrescentou Kashiwadani.

Acalma na cirurgia

A lavanda também pode ser usada para acalmar os pacientes antes de cirurgias ou aqueles que lutam para tomar medicação, como crianças ou idosos.
Em cirurgia, por exemplo, o pré-tratamento com ansiolíticos pode aliviar o estresse pré-operatório e, assim, ajudar a colocar os pacientes sob anestesia geral de forma mais suave.
O linalol vaporizado também pode fornecer uma alternativa segura para pacientes com dificuldades de administração oral ou supositório de ansiolíticos, como lactentes ou idosos confusos.

Até 40 por cento das pessoas sofrem de ansiedade em todo o mundo em algum momento de suas vidas.

Essa matéria foi publicada no site A Grande Arte de Ser Feliz. 26/10/18

Os novos negócios do empresário Carlos Wizard Martins | EXAME

Os novos negócios do empresário Carlos Wizard Martins
Em pouco mais de um ano, Wizard acrescentou 5 empresas ao seu grupo, em segmentos como educação, fast food e cosméticos

São Paulo – O grupo Sforza, do empresário Carlos Wizard Martins, está em uma onda de aquisições. O grupo acaba de anunciar a aquisição de 22,5% da operação da Topper na Argentina, que pertence à Alpargatas. O valor da operação foi de 100 milhões de reais.

A marca Topper já é uma conhecida do grupo. Em 2015, o grupo Sforza adquiriu 100% das operações da Topper no Brasil e todas as operações da Rainha por 48,7 milhões de reais e havia prometido comprar uma fatia da Topper no país vizinho.

Essa é a mais nova de uma série de aquisições feitas pelo empresário nos últimos anos, depois que ele vendeu o  Grupo Multi, dono da rede de escolas de idiomas que levava seu nome, para o grupo inglês Pearson por 2 bilhões de reais.

Entre seus novos empreendimentos, está a rede Mundo Verde, a Ronaldo Academy de escolas de futebol, a Logbras, incorporadora especializada em parques logísticos e centros de distribuição, e a marca de cosméticos Aloha. Foi por suas mãos que a rede mexicana de fast food Taco Bell chegou ao Brasil, em 2016, e ele já tem outras redes de fast food.

No portfólio também há uma aposta que pode ser o próximo unicórnio brasileiro, a Hub Fintech. O negócio, que começou em 2012 como uma empresa de cartões para vale-presentes, já recebeu 150 milhões de reais de Wizard e possui um valuation de 1,5 bilhão de reais. A Hub Fintech se transformou em uma provedora de soluções e tecnologias para meios de pagamento, atendendo desde negócios como a gigante Magazine Luiza até o inovador Social Bank (lançado pelo próprio Wizard, diga-se de passagem).

Em pouco mais de um ano, Wizard acrescentou 5 empresas ao seu grupo

Na semana passada, o grupo Sforza anunciou de anunciar a aquisição de 22,5% da operação da Topper na Argentina, que pertence à Alpargatas. O valor da operação foi de 100 milhões de reais. A empresa irá se reorganizar para separar a Topper das demais atividades do grupo no país, que incluem Havaianas, Osklen e produção de denim.

No meio de 2017, o empresário lançou a Aloha, empresa de venda direta de produtos cosméticos e óleos essenciais. Wizard investiu 10 milhões de reais no projeto e deve colocar mais 10 milhões nos próximos três anos.

A Aloha funciona pelo modelo de marketing multinível. Ou seja: o consultor ganha ao vender os produtos da marca e também ao indicar outras pessoas para fazerem parte da rede.

Em maio de 2017, o empresário retornou ao setor de educação. Por um investimento de 200 milhões de reais, adquiriu 35% da rede WiseUp, fundada por Flavio Augusto da Silva, que manteve os 65% restantes.

A rede foi fundada em 1995 por Flavio Augusto da Silva, vendida para a Abril Educação, hoje Somos Educação, por 1 bilhão de reais em 2013 e recomprada em 2015 por 390 milhões de reais.

Logo em seguida, a Wise Up anunciou a aquisição de outra escola de idiomas, a Number One. Com 45 anos, a Number One tem 25 mil alunos e 135 unidades, a maior parte em Minas Gerais, e 2 mil funcionários.

Depois de ter lançado a Taco Bell no Brasil, que internacionalmente é gerenciada pelo grupo Yum! Brands, o empresário abocanhou as duas outras marcas do grupo: Pizza Hut e KFC. Em janeiro de 2018, a família do empresário anunciou que investirá nos próximos cinco anos 60 milhões de reais em 20 novas unidades próprias do KFC, que atualmente tem 47 lojas no país, e mais 75 milhões no mesmo período para abrir 35 lojas próprias da Pizza Hut, que hoje conta com 180 unidades.

De fast food a marcas esportivas, Carlos Wizard Martins não tem medo de entrar em novos mercados.

18/9/18 – Leia matéria Exame na íntegra 

Marketing Multinível muda vidas e movimenta a economia

Desde que iniciei minha jornada de negócios no setor de Marketing Multinível venho reafirmando minha paixão pelo sistema de vendas diretas. Esse é um setor que tem transformado milhares de vidas nos últimos anos, fazendo com que muitas pessoas consigam vencer os problemas financeiros, além de contribuir para que a economia do País seja impulsionada.

Dados da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) mostram que o setor gera para o Brasil R$ 415 mil em impostos arrecadados para cada R$ 1 milhão investidos. Esse valor é maior que o gerado pela indústria e a agropecuária, por exemplo.

Em 2017, o setor de vendas diretas foi responsável pela comercialização de 1,9 milhões de itens (produtos e serviços) no Brasil, o que gerou um volume de negócios que ultrapassa os R$ 45 bilhões. São mais de 4,1 milhões de pessoas trabalhando como consultores diretos das empresas.

O número deve crescer ainda mais nos próximos anos, uma vez que se trata de uma área que dá oportunidade de desenvolvimento pessoal aos mais variados perfis de pessoas, tanto para aqueles que estão começando, como para quem já tem experiência profissional. Sempre defendi a ideia que o Marketing Multinível é uma atividade inclusiva, que permite que pessoas com baixo poder aquisitivo, jovens ou idosos, com ou sem escolaridade, sejam empreendedores e tenham as suas vidas transformadas. Essa transformação não é apenas do ponto de vista financeiro, mas esse modelo de negócio contribui para a qualificação de seus membros, uma vez que as empresas líderes tem um foco muito grande no treinamento e capacitação de seus consultores.

ABEVD

Os dados da ABEVD corroboram com essa ideia e revelam que, das pessoas que trabalhavam com vendas diretas em 2017, 56% eram mulheres, 44% homens; 62% casados. Além disso, 48% das pessoas têm idade entre 18 e 29 anos e 46% entre 30 e 55 anos; 53% possuem o ensino médio, enquanto 31% finalizaram o ensino superior. Diante desse aumento no número de pessoas envolvidas com o setor, o Brasil está entre os países que mais realizam vendas diretas em todo o mundo, ocupando a 6ª posição global e a 2ª nas Américas (Norte, Sul e Central), com 5% de participação nas vendas diretas de todo o mundo.

Na convenção nacional Aloha realizada recentemente, afirmei que esse modelo de negócio está constantemente em busca de pessoas sem limite de idade, e sem experiência prévia no setor. O importante é que sejam pessoas determinadas, de boa vontade, e acima de tudo disciplinadas, com o objetivo de trabalhar firme para acabar com o sofrimento da alma do indivíduo causada pela ignorância e pobreza. Pois acredito firmemente, que esse modelo de negócio é a melhor forma de gerar e distribuir riquezas para todas as pessoas que o realizam de forma profissional.

Dessa forma acredito que o sistema de Marketing Multinível cumpre, verdadeiramente, um papel social e é um caminho alternativo para quem quer empreender, e dispõe de poucos recursos para iniciar o próprio negócio, permitindo que milhares de pessoas conquistem a liberdade financeira.

Autor: Carlos Wizard Martins

Fonte: Revista Isto É em 11/07/18 e poderá ser lida na íntegra.

A Aloha é pirâmide?

Algumas pessoas perguntam: A Aloha é pirâmide?

A Aloha Life é uma das mais novas empresas de Carlos Wizard Martins, um dos maiores empreendedores brasileiros que, juntamente com suas filhas Priscila e Thais, trouxeram para o Brasil o conhecimento dos óleos essenciais para bem estar, saúde, prosperidade e felicidade dos brasileiros.

Carlos iniciou sua trajetória empreendedora fundando a escola de idiomas Wizard em 1987, expandiu para todo o Brasil e adquiriu outras redes de escola de idiomas, como a Yázigi, construindo a maior rede de ensino de idiomas do planeta, vendida em 2013 para a empresa britânica Pearson por aproximadamente 2 bilhões de reais – a maior transação referente a uma rede de ensino de idiomas na época. Hoje o Grupo Sforza possui mais de dezessete empresas, dentre elas Topper, Rainha, Mundo Verde, Taco Bell, Pizzas Hut.

A Aloha, lançada em maio de 2017, atua no mercado de vendas diretas e multinível, também conhecido como Marketing de Rede ou Marketing de Relacionamento, é baseada na propagação do negócio através de seus consultores, que fazem a venda dos produto ou o consumo do mesmo, e indicam o a marca da empresa criando uma rede de consumidores e/ou vendedores que gera comissões, bônus ou prêmios destinados tanto para o profissional quanto para a rede que ele está inserido.

“As pirâmides financeiras são negócios totalmente distintos do marketing multinível. Elas são esquemas ilegais de movimentação financeira. O marketing multinível é uma atividade legalizada, baseada na comercialização de produtos e serviços” – Edmundo Roveri

O Marketing Multinível é um modelo de venda que permite o recrutamento e a participação dos vendedores nos lucros obtidos. Para isso, ele oferece relações comerciais com pessoas fora da estrutura financeira.

No caso da pirâmide, não há serviços ou produtos repassados para quem está do lado de fora, o que impossibilita o lucro e o crescimento do sistema. Ou seja, a sustentação do negócio se dá apenas pelo investimento dos novos participantes e não pelo lucro de venda. A lógica é simples: os que investem inicialmente — e que estão no topo da pirâmide — podem lucrar, já que os novatos — a base — vão continuar a investir pequenas quantias no processo, que automaticamente repassa o valor para os membros do topo. A base, por sua vez, não receberá retorno algum, uma vez que não haverá mais investimento de lugar nenhum e, assim, a empresa não terá como bancar a base, que sempre é maior que o topo. Ou seja, a pirâmide é um esquema de marketing sem produto e com receita dependente da inserção de novos membros. 

A Aloha Life é um modelo de negócios que representa expressiva fatia do PIB dos Estados Unidos e está em amplo crescimento no Brasil, certificada e regulamentada pela Associação Brasileira de Vendas Diretas (ABVD), requisito básico para qualquer empresa nesse modelo de negócios comprovar sua idoneidade e legalidade.

A Aloha Life fundada e dirigida por um dos maiores empreendedores do país, e também sócio de pessoas de sucesso como por exemplo Ronaldo Nazário (o Fenômeno), Neymar e Flávio Augusto, Carlos Wizard Martins traz para a Aloha toda a credibilidade e segurança necessárias para esse modelo de negócios, empresa esta comandada por duas mulheres poderosas Priscila Martins e Thais Martins.

Ouça agora o que Carlos Wizard Martins diz sobre pirâmides financeiras:

Se você quer conhecer melhor essa oportunidade, basta clicar aqui e lhe conheça você mesmo a Aloha Life.